sexta-feira, 1 de julho de 2022

100101 (O post dos meus 37 anos)

 




Dia 1o de julho e isso significa que é dia de atualizar a foto do perfil. É dia de publicar o que for publicável em uma crônica refletindo sobre os últimos 12 meses da minha vida. Afinal, é dia do meu aniversário, caramba! Feliz Ano Novo pra mim!



Um ano de muito trabalho e luta na Campanha Salve Seus Dados e conseguimos empurrar a privatização da Dataprev para janeiro de 2023. Estamos quase salvos, afinal já colocamos Lula com 53% dos votos válidos e, no nosso programa de governo, empresas públicas são prioridade para tirar o país desse buraco.



Agora é reta final, gás total, vamos juntos pelo Brasil!



Percebi que muita gente que criticava o meu ativismo se juntou a mim depois que a inflação oficial bateu em 12%.



E isso foi um drama desse meu último ano.



Quando existiu inflação desse tipo eu era uma criança ainda. Lembro que os meus pais enchiam o carrinho do supermercado com várias latas de Mucilon, mas só lembro disso. Ver o meu salário se desmanchando mês a mês e sendo insuficiente até mesmo para o pagamento das coisas básicas é desesperador. E olha que eu sou um privilegiado por ainda ter bom emprego e bom salário e quem tá me salvando é uma poupança que eu fiz na época das vacas gordas (PT). A gente sequer tem a estatística de quantos brasileiros estão morrendo de fome e de frio e é por isso que muita gente se juntou a mim pelo Brasil.



No primeiro dia desse meu ano foi justamente minha primeira dose da vacina mais esperada de todos os tempos: um presentaço de aniversário!



Em setembro foi a segunda e a terceira demorou demais. Em janeiro, falei pra turma do racha que eu ia ficar na geladeira porque tava vindo uma onda muito foda, mas nem deu tempo. E só depois me explicaram que as mascras de pano não seguravam a tal ômicron.



Um dia antes do primeiro racha minha garganta começou a arranhar. Provavelmente, peguei da minha filha e passei pra minha esposa e foram dias bens tensos e isolados dentro de um pequeno apartamento. Uma semana com a garganta totalmente bloqueada e nessa hora você vê quantos por cento você confia em Deus e quantos por cento você confia na ciência. Duas semanas com a maior preguiça do mundo, deitado o tempo inteiro, até que ufa! Daí foram 4 meses com um reumatismo desgraçado nos joelhos que eu não aguentava dar uma carreira de 5 metros nem pra fugir de um ladrão. Levei 130 dias para voltar a correr com saúde e prazer. E mais algumas semanas até voltar a marcar uns gols. Ô coronga réi doido!



Então, meu ano esportivo foi bem prejudicado. Ainda de férias do Corinthians e me vi viciado em assistir aos compactos de futebol da ESPN: 5 minutos só com o filé mignon das partidas. Dá pra assistir a 10 partidas em 1 hora. Entretenimento máximo. Até os compactos das finais da NBA já estavam me divertindo.



E finalmente eu conseguia conversar naturalmente com o meu professor de Inglês. Os textos em Inglês também já estavam saindo sem muito suor e, quando eu percebi que não precisaria mais fugir do Brasil, me desafiei a aprender Espanhol. Eu achava uma vergonha saber Inglês e não saber Espanhol. Era uma meta pra 2022 que foi antecipada numa promoção de Black Friday. E assim eu comecei a usar um aplicativo em Inglês para aprender Espanhol. Doideira demais. Hoje eu consumo diariamente textos e vídeos nesses 2 idiomas e sempre, antes de dormir, reviso os meus baralhos de Inglês e Espanhol. Tô viciado em aprender idiomas e o céu é o limite. É uma terapia incrível!



Ainda por conta da minha liseira, precisei migrar os meus sites para um novo serviço de hospedagem mais barato. Foi bom pra exercitar essa parte técnica e também pra dar uma divulgada no meu trabalho como escritor e blogueiro que ficou em segundo plano nos últimos anos.



Veja mais em (agora até com https hein):



> Site do Paulo de Tarso



Tenho atuado mais como codificador na Dataprev nos últimos meses em uma reciclagem importante da minha carreira depois de quase uma década na gestão. O nosso home office foi oficializado pós pandemia e a minha profissão está bombando no mundo inteiro graças a Deus.



É difícil manter a harmonia em casa quando o salário é insuficiente… É difícil demais criar 2 garotinhas… Mas a gente tem ido bem demais em criar as nossas meninas e manter a harmonia na família.

 

 

 




Aos pouquinhos as benditas vacinas nos permitiram voltar a ter vida social e foi nessa que eu fui pra um dos shows mais históricos da minha vida: simplesmente a lenda Dire Straits! E o meu YouTube bombou e passou até de 800 inscritos.

 

 


 


Um show que eu fiquei com o ingresso na mão por 27 meses por causa do coronga. Doideira demais!



E aí, junto com o Oasis, fechando a minha lista de shows a assistir.



Fiquei tão empolgado que fui até ver o fenômeno do YouTube: Boyce Avenue! Demais demais demais.

 

 


 


Rolou ainda os 60 anos da minha mãe (foto do post) e já, já estarei na mesma festa só que da minha sogra.

 

 




Um privilégio estar de volta à Broadway de Canoa Quebrada e viva as vacinas! Viva a Astrazeneca, Pfizer, Janssen e CoronaVac!







Completando 37, eu estudo desde os 4 anos de vida, mas não tenho a menor ideia de como se produz uma vacina. Então agradeço demais a todos os cientistas que resolveram esse problemão pra mim.



Infelizmente, a gasolina bateu em 8 reais graças ao desgoverno Bolsonaro e, com estradas também péssimas, ficou difícil de viajar por aí.



Ah!, e eu ia terminando o post sem lembrar de falar do auge da minha luta política, que foi justamente na última semana do meu ano, quando eu gravei uma fala de 3 minutos no YouTube oficial da Câmara dos Deputados, falando diretamente da Comissão de Educação: a Dataprev não pode ser privatizada!



De bônus, ainda realizei o meu sonho de conhecer todo o conjunto arquitetônico de Niemeyer.

 





 

 


 

Seguimos muito fortes na contagem regressiva pra eleger Lula, sempre trazendo mais gente na luta para melhorar o Brasil e para que as Isas tenham um lugar bom para crescer.



Como eu falei no niver da mamis: ser amigo no dia da festança é mole. Amigo mesmo é aquele que tá junto nos 365 dias do ano.



E isso é bem curioso hoje em dia porque eu tenho amigos virtuais que eu nunca vi na vida e são simplesmente alguns dos meus melhores amigos, porque todo dia trocamos ideias e nos conectamos.



Muito obrigado a todos e todas que me fortalecem ao longo de todos os dias do meu ano. Valeu demais!



Feliz aniversário!



Feliz Ano Novo!



Sigamos!



Compartilhe o blog. Compartilhe ideias boas com a gente.



Ei, psiu, se liga…
Dá para ficar sabendo das novidades do blog pelas redes sociais. Sigam-me os bons!


      

Conheça a minha obra completa em:

6 comentários: